Ivory Talent

Carregando...

Receba nosso conteúdo por email, em primeira mão.

Enviando... Enviando...
  • Home »
  • Blog »
  • Gestão de carreira: o que é e qual a importância para sua organização

Gestão de carreira: o que é e qual a importância para sua organização

Recursos Humanos - por Fernanda Pinheiro em 11/08/2020 - Leia em 8 minutos

rh ensina colaboradores como fazer gestão de carreira
Uma boa gestão de carreira pode motivar os funcionários, aumentar a produtividade e derrubar a taxa de turnover. Leia o texto e descubra o que é, porque é importante e como fazer gestão de carreira.

Neste mercado de trabalho cada vez mais competitivo, flexível e dinâmico, manter os melhores talentos em sua equipe nunca foi tão difícil. Surge, então, a gestão de carreira, uma forma simples de reter seus colaboradores, aumentar a coesão das equipes e melhorar a produtividade de todos.

Isso porque a gestão de carreira permite que cada profissional tenha uma melhor noção sobre qual o seu futuro dentro da empresa em que trabalha. E, às vezes, um bom plano de carreira é tudo que um funcionário precisa para se sentir estimulado em sua organização e menos “perdido” profissionalmente.

Então, quer saber mais sobre a gestão de carreira? Continue lendo e descubra:

O que é gestão de carreira?

A gestão de carreira costuma estar associada à um conjunto de práticas corporativas que visam estruturar uma trajetória profissional dentro da empresa para todos os seus colaboradores.

Em outras palavras, a gestão de carreira busca fortalecer os laços profissionais entre a organização e seus membros, estimulando-os a continuar trabalhando na empresa.

No geral, ela tem como seu principal elemento o plano de carreira. Esse plano funciona da seguinte forma: cada função dentro da empresa possui uma sequência pré-estabelecida de progressão de cargos.

À medida que o funcionário adquire tempo de trabalho dentro da organização, ele vai conquistando experiência e ganhando a confiança dos seus pares. Assim, ao cumprir determinadas metas, prazos ou objetivos, são ativados gatilhos que o promovem automaticamente.

Com isso, o colaborador pode visualizar de forma mais clara o seu futuro dentro da empresa, conseguindo também planejar a sua vida financeira de acordo.

Então, a gestão de carreira envolve, principalmente, a organização das trajetórias profissionais de cada cargo em uma organização. E existem ao menos três tipos diferentes de se fazer essa estruturação. São eles:

  1. Carreiras em linha, em que há apenas uma direção de progressão e que costuma culminar em uma posição gerencial. Portanto esse tipo de estruturação é mais limitado e não apresenta muitas opções de ascensão, em especial para os cargos mais técnicos.
  2. Carreiras paralelas, em que existem alguns caminhos lineares diferentes para progredir nas posições da empresa. Ou seja, é similar às carreiras em linha, porém com mais rotas de carreiras disponíveis para o colaborador escolher.
  1. Carreiras em rede, em que existem múltiplas direções de progressão para cada posição dentro da empresa, assim como uma rede, mesmo. Costuma ser mais a positiva para os colaboradores, pois é a que oferece o maior número de escolhas, mas exige certo estruturamento interno prévio.

Por que o plano de carreira é tão importante?

Como você viu, o plano é o ponto central da gestão de carreira. Mas ele é importante mesmo? Por que uma empresa deveria investir tempo e recursos nisso?

Em primeiro lugar, o plano de carreira é uma excelente maneira de manter os seus funcionários dispostos e empolgados com o trabalho. Afinal, a perspectiva de avançar para um cargo com mais responsabilidades (e remuneração, claro) é um estímulo extremamente potente para qualquer um.

Isso significa, também, que o plano funciona como uma excelente âncora para reter os melhores profissionais da sua empresa por um bom tempo. 

Nós sabemos que o mercado de trabalho é extremamente competitivo, tanto para as empresas como para os funcionários. É natural que seus colaboradores estejam sempre de olho no que o mercado está oferecendo em termos de vaga. 

Mas lembre-se que ter um turnover elevado é extremamente prejudicial para sua empresa. Tanto para a produtividade e a qualidade do trabalho como em termos de gastos com processos seletivos, que podem se tornar bastante custosos.

Além disso, ter um plano de carreira desde o princípio também é uma boa forma de sinalizar para os seus colaboradores quais conhecimentos e habilidades eles precisam desenvolver para avançar dentro da empresa.

Muitas vezes, os funcionários querem aprender mais, mas não sabem exatamente o que devem focar ou o que será mais útil para eles no futuro. Por isso, podem acabar se concentrando em habilidades que não serão muito úteis para o trabalho dentro da empresa.

Portanto, ao saber exatamente qual é o caminho profissional que ele deve seguir se continuar fazendo um bom trabalho dentro da empresa, o colaborador poderá aperfeiçoar suas habilidades e se tornar um talento ainda melhor.

Quer saber mais sobre o universo do RH? Se inscreva em nossa newsletter! (não se preocupe, também odiamos spam)

Quais são as vantagens e desvantagens da gestão de carreira?

Então, para saber quais as principais vantagens e benefícios associados à gestão de carreiras, bem como quais as desvantagens de se implementá-la, elaboramos duas listas resumidas com os principais pontos que você precisa pesar. Confira!

Vantagens

  1. Dá previsibilidade e segurança para os colaboradores;
  2. Impulsiona a atração de novos talentos;
  3. Diminui o turnover, ajudando a reter os melhores funcionários na empresa;
  4. Estimula o bom convívio social entre os colaboradores;
  5. Incentiva a busca pelo conhecimento produtivo.

Desvantagens

  1. Gerenciar as carreiras profissionais de toda a empresa pode exigir bastante tempo e energia do seu time de RH;
  2. Elaborar planos de carreira menos lineares pode exigir grandes reestruturações das hierarquias de trabalho na organização;
  3. Os colaboradores que chegarem ao final do plano de carreira podem se tornar menos motivados e cair em estagnação;
  4. A progressão automática de carreiras é capaz de engessar os gastos da empresa com a folha de pessoal;

Como fazer a gestão de carreira dos colaboradores?

Agora que você já tem uma boa ideia do que é a gestão de carreira, porque ela é importante e quais suas vantagens e desvantagens, separamos quatro passos para ensinar como você pode implementá-la em sua empresa. 

4 passos para fazer a gestão de carreira dos colaboradores

  1. Identifique as competências exigidas para cada função

    O primeiro passo para fazer a gestão de carreira dos colaboradores é mapear todos os cargos e funções que a organização exige para seu funcionamento ótimo. Em empresas maiores, esse trabalho pode ser bastante exaustivo, mas ainda assim ele é extremamente necessário.

    Então, feita essa primeira etapa, será preciso verificar quais as competências que cada uma dessas funções requer, e se as pessoas que estão empenhando-as atualmente são capazes de executá-las com a eficiência e a eficácia necessárias.

  2. Conheça a fundo o perfil profissional dos seus colaboradores

    Entender o perfil profissional dos seus colaboradores é essencial para saber se os talentos da sua equipe estão, de fato, alocados nas posições corretas. Para tanto, é necessário reconhecer tanto as suas habilidades e os seus potenciais como as suas limitações técnicas e de soft skills

    Isso é fundamental para entender se aquele colaborador possui o conhecimento necessário para exercer a função, bem como o que deve ser feito para que ele possa executar um cargo de maior hierarquia ou com mais responsabilidades dentro da sua organização.

  3. Faça (ou atualize) o mapa de progressões de carreiras

    O mapa de progressões é o coração da gestão de carreira. É ele que aponta para cada colaborador onde eles estão atualmente, até onde podem ir e o que precisam fazer para chegar ao topo.

    É aqui, também, que você deverá decidir qual o tipo de plano de carreira que a empresa vai adotar, seja linear, paralelo ou em rede. Cada um tem suas vantagens e desvantagens, portanto essa não se deve tomar essa decisão sem pensar ou de forma apressada.

    Busque encontrar um equilíbrio entre oferecer flexibilidade, para que os colaboradores tenham alguma decisão de escolha, e garantir que antes de atingir determinados cargos, a pessoa tenha tido a experiência profissional necessária de antemão. 

    E é muito importante entender que o plano de carreiras não deve ser um caminho rígido e inflexível. Existem diversas maneiras diferentes para estruturá-lo e garantir que ele seja justo e benéfico, tanto para a empresa como para os trabalhadores dela.

  4. Realize um acompanhamento periódico dos resultados

    Agora que você já identificou todas as competências que sua empresa requer, conheceu à fundo as habilidades e limitações de cada funcionário e fez o mapa de progressões de carreiras, é hora de acompanhar os resultados das mudanças.

    Portanto, fazer essa supervisão é essencial para entender quais os planos de carreira que estão dando certo e quais precisam de ajustes. Lembre-se, porém, de dar tempo ao tempo: ao assumir um cargo novo, o início sempre será mais difícil, mas as coisas melhoram com o tempo.

E, com isso, a gente encerra aqui o nosso texto sobre gestão de carreira: o que é e qual a importância para sua organização. 

Se você gostou do conteúdo, não deixe de se inscrever na nossa newsletter e ficar por dentro de tudo sobre o mundo do RH. É só descer até o final da página e preencher o seu email rapidinho!

Receba nosso conteúdo por email, em primeira mão.

Enviando... Enviando...